Moto usada

5 dicas para quando você for comprar uma moto usada.

Nem sempre é possível realizar aquela compra de uma moto zero. A opção neste caso é optar pela compra de uma moto usada. Mas é essencial estar atento a alguns cuidados que o antigo proprietário teve na hora da venda e de uso. 

Isso, principalmente se o valor é menor do que apresenta no mercado. Hoje a Mobili apresenta 5 dicas de na hora da compra da sua moto. 

Moto usada e gastos: Entenda como economizar na hora da compra. 

É importante estar atento ao custo que será gerado, não só pela compra da moto, mas pela revisão. De preferência, busque uma revisão imediata e adiantamento com custo do licenciamento. 

Não se esqueça de verificar os impostos e multas atrasadas. A documentação também deverá estar em dia. 

Compra e garantia.

Você tem a escolha de fazer a aquisição da sua moto em concessionárias de vendas e revendas de novos e seminovos. Neste caso, há garantia imediata, principalmente do motor e do câmbio, além da revisão prévia. 

Dessa forma, caso esteja disponível para comprar na mão de terceiros. Esteja ciente que você poderá pagar um valor abaixo, mas não haverá a obrigação da garantia. 

Atenção ao chassi do veículo em caso de moto usada.

Verifique se os números de chassi, placa e Renavam conferem. Com estes números em mãos, aproveite e cheque os dados do proprietário atual.

Assim, fique atento se o veículo está ou já foi financiado (alienação fiduciária), se tem multas ou restrições ou passagem por leilão. Basta ir no site do Detran da sua região.

Quilometragem. 

Os quilômetros rodados não garantem nada qualidade excelente da moto. Uma moto mais rodada pode está em melhores condições que uma igual ou menos rodada. O que vale é o estado geral.

A manutenção rigorosa e o cuidado que o futuro ex-proprietário teve vale muito mais do que qualquer outra coisa. Entretanto, se pegar uma moto extremamente rodada, futuramente sua revenda será ainda mais difícil, devido à alta quilometragem.

Moto usada precisa ser testada!

Quando a hora do teste chegar, não se esqueça de dar a partida com o motor 100% frio. Tanto nas injetadas quanto nas carburadas. Nas injetadas, ao virar a chave na ignição, você vai ouvir um zumbidinho: são a bomba de gasolina e o bico injetor em funcionamento. 

Nas carburadas, é preciso abrir a torneira de gasolina e, eventualmente, puxar o afogador. Ambas devem pegar de imediato. Se o arranque “chorar” muito, a bateria pode estar em fim de vida, o que também é identificado com uma “caída” muito forte na intensidade das luzes-espia. Nas carburadas, se o motor demora pra pegar, pode haver problema de regulagem ou mesmo no carburador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *